A Solidão e a Inércia pela Felicidade

Solidao e a Inercia pela Felicidade

Em alguns momentos de nossa caminhada nos encontramos em estado de solidão. Esta predisposição decorre do nosso descontentamento, da nossa baixa auto-estima, e seguramente, porque estamos vulneráveis com a queda de nossa frequência.

Ao permitirmos estar vivendo nesse parâmetro permissivo e denso poderemos estar sós. A condição de solidão está diretamente relacionado ao rompimento do convívio com os amigos, com os colegas de trabalho, com as suas afetividades, e observem, com Deus.

A esta última relacionada à Fonte e revelada pela falta da prática continuada e da conexão com a espiritualidade entendemos a mais relevante.

Entendamos a prática citada da espiritualidade como a espontânea escolha de cada um, e que se traduz pela diversidade. Pode-se realizar tal prática pelas orações, pela meditação, pela visita à Igreja nos domingos, pelo evangelho no lar ou até mesmo pelos passeios periódicos na natureza.

Então o que nos basta? Fé. Esta fé nada mais significa que o movimento particularizado pela felicidade.

Geralmente o estado de se sentir só nos absorve porque permitimos que portas se abram ao desconhecido mundo da falta das perspectivas universais, quais sejam a falta de amigos, o afastamento de familiares, a ausência do carinho, a falta de atenção, a falta da compreensão, a falta de perdoar e ser perdoado, a falta da oportunidade, e do amor fraterno.

Estas e outras perspectivas que perfazem o nosso microcosmo humano levam cada um de nós a produzir movimentos em nosso Orbe, e a inércia faz-se fundamentalmente necessária para o encontro com a paz e com a plenitude do sorrir, a felicidade.

Então se abrirmos a porta do apego ou do ego, por exemplo, estes nos amarrarão a situações ou a irmãos que não vibram na mesma sintonia, e que se conflituam com os nossos princípios de retidão, de amorosidade para com os nossos filhos, de responsabilidade para com o nosso trabalho; enfim eles nos densificam as boas e salutares relações de convivência a cada instante.

Sabemos qual o caminho ou por qual estrada devemos seguir. A dualidade é simples, pois nos oferece apenas duas escolhas: o amor ou a dor; a luz ou a falta dela.

A escolha pelo movimento de inércia rumo à felicidade é opção única, personalíssima, oportuna e temporal de cada um.

6 comentários
  1. Adriane F. Ferrari diz:

    Muitos buscamos o crescimento pessoal e espiritual e a luz na sua plenitude com mais foco ou menos. Sabemos também que o caminho é pelo amor ou pela dor. A solidão faz parte das nossas escolhas e mudanças. O dia a dia nos tira do prumo e vem as dificuldades de manter o equilíbrio e não deixar a energia cair. Orai e vigiai… esse é o lema, parece tão fácil falando ou escrevendo… mas manter-se na luz é um pouco complicado, mas com certeza com determinação e muita vigia conseguiremos. Paz, amor e muita Luz

    Responder
    • Sérgio Gubes diz:

      Olá Adriane! Fico feliz em compartilhar as tuas observações. Elaa são pertinentes e relativas às tuas novas descobertas sobre o teu crescimento e aprimoramento espiritual. Penso! Direcione-se com fé e alcançará os teus objetivos pelo Amor. Luz e serenidade!

      Responder
  2. Itamar Alves da Silva diz:

    Procuro uma paz interior,sei que só o reiki pode me dar com vibrações positivas e ao mesmo tempo com equilibrio do corpo e da alma…Gostaria de poder fazer o curso,poderia me realizar ajudando aos outros e ao mesmo tempo,tenho certeza me auto ajudando…Moro em Gravataí e ninguém ministra o curso…Pelo menos tenho procurado e não tenho encontrado…Amei o texto!!! sucinto e esclarecedor…Abraços da Ita Farias!!!

    Responder
    • Sérgio Gubes diz:

      Olá Itamar, tudo bem?
      Há muitos praticantes do Reiki. O importante é verificar àqueles que semeiam a cultura do Amor. Reiki é Amor. E, sim, o Reiki traz Paz, Equilíbrio e Entusiasmo, pois está diretamente conectado a ideias maiores e à Luz. Mas para encontrar paz interior existem outras técnicas tão amorosas e entusiastas como o Reiki. Entenda que quando nos referimos ao Entusiasmo, queremos afirmar “estar em Deus”. E está em Deus a primeira relação dos atributos que possuímos como Amor, Sabedoria e Inteligência Ativa, porém precisamos resgatá-los em nossa busca e caminhada eternos.
      Gratidão,
      Sérgio Gubes

      Responder

Deixe um comentário

Quer se juntar a discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *