A Prece e a Espiritualidade

A Prece e a EspiritualidadeSe há alguma sugestão que se pode oferecer a alguém que passa por dificuldades é o famoso “Orai e Vigiai”. Não há nada mais sugestivo que estar atento aos seus pensamentos, e em plenitude ao se comunicar com Deus.

Há poucos dias, durante um diálogo com o administrador do prédio onde tenho domicílio, estávamos tratando descontraidamente sobre o tema “conversas com Deus”; assim definido por este senhor, mas que em outras palavras traduz-se por Prece.

A partir de então, surgiram-me algumas perguntas e passo a chamá-las de “universais”, pois entendo que a grande massa de praticantes da espiritualidade e que vislumbram o caminho da Luz não têm a verdadeira percepção das adequadas respostas das quais devamos interagir com a Fonte. Suponho que nenhum de nós as detenha em plenitude. Muito menos ainda ao que se refere à prática e ao entendimento da dualidade entre Deus e o praticante, no momento de orar. Elas estão contidas na ação de interagir universalmente com o ato da Prece.

Pois bem, quais seriam as tais perguntas? Enquanto refletimos a respeito, permita-me que volte no tempo e traga à recordação os meus oito anos de idade. Era a época em que frequentava uma escola de freiras e todos os dias, por temor a Deus e também impulsionado pelo rigor daquelas senhoras, punha-me a realizar as Preces e as canções que nos eram orientadas, como, por exemplo, a canção de Maria de Nazaré. Nossa! Hoje tenho noção da inocência que tinha quando menino e o quanto era maravilhoso orar ao Criador. Era muito mais fácil acessá-lo, a conexão era mais fluida. Afirmo que tenho muitas saudades daqueles momentos de contato com a Consciência Divina.

A reflexão relativa a minha infância, caro leitor, trouxe-me ótimas lembranças, ao mesmo tempo em que lhe trago as referidas perguntas, quais sejam, sabemos orar? Formulei questionamentos ao senhor Nelson, o zelador, sobre o que seria a Prece para ele, e sua resposta foi fabulosa. Ei-la: um dia me disseram que a “Prece é um conjunto de palavras pronunciadas pelos lábios e ditadas pelo coração”. De que maneira é realizada a sua Prece? Pois o mesmo senhor me respondeu: “faço minha oração informalmente, do meu jeito. Se tiver que xingar a Deus, assim o farei, pois somos filhos do mesmo Pai e de uma única família”.

Sabemos o que representa a oração? Pois segundo o escritor Bruno J. Gimenes e Patrícia Cândido, em sua obra Evolução Espiritual na Prática, pág. 244, afirma-se que “Todos precisamos entender que a boa Prece é a mais simples e eficaz forma de desenvolver a sua consciência espiritual, alcançando felicidade, e, essencialmente: Ajudar a coletividade e o planeta a evoluir”.

2 comentários
    • Sérgio Gubes diz:

      Caro irmão Itamar,
      Agradeço teu sincero desejo de “falar com Deus”! A simplicidade das palavras revela o segredo do coração e da alma.
      Gratidão querido,
      Luz e paz, sempre!

      Responder

Deixe um comentário

Quer se juntar a discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *